Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla 2023: uma campanha que abre caminhos para a inclusão

Nesta segunda-feira (21), damos início a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência. Anualmente, essa celebração acontece de 21 a 28 de agosto.

Essa iniciativa foi oficialmente integrada ao calendário nacional por meio da Lei nº 13.585/2017, com o propósito de aumentar a conscientização sobre as Pessoas com Deficiência (PCD). Este esforço visa abordar as suas necessidades junto à sociedade e ressaltar novas abordagens para enfrentar o preconceito, permitindo-lhes vivenciar uma vida plena.

Adicionalmente, a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência busca disseminar o entendimento sobre as condições desses indivíduos, o que é considerado um passo para transformar a realidade, superando os obstáculos que os impedem de participar plenamente, em igualdade de condições, com as demais pessoas.

O tema escolhido para a edição deste ano, em 2023, é “Conectar e Agregar para Construir Inclusão”. O Instituto Acorde procura evidenciar à população a importância de estabelecer conexões entre as pessoas por meio da comunicação, proporcionando informações e novas perspectivas sobre a realidade que eles vivenciam.

Essa conexão oferece às pessoas com deficiência e suas famílias um melhor entendimento dos seus direitos, além de disponibilizar meios acessíveis para se comunicar com a sociedade como um todo, utilizando diversos canais de comunicação digital, como redes sociais, podcasts, transmissões ao vivo, blogs, websites e aplicativos de mensagens instantâneas, entre outros”

O Instituto Acorde está empenhado em estimular ainda mais a sociedade a adotar posturas que resultem em uma inclusão prática verdadeira. Isso é essencial para construir um mundo melhor e mais igualitário para todos.

Instituto Acorde celebra 35 anos e reforça a importância da autonomia e inclusão das pessoas com deficiência intelectual

Fundada em 1988, Instituição é referência na causa e tem ampliado a sua atuação em diferentes serviços

No dia 8 de agosto, terça-feira, o Instituto Acorde celebra seu 35º aniversário. Fundada em 1988 por um grupo de pais de pessoas com deficiência intelectual, a Instituição se destaca como uma das principais organizações engajadas na promoção da inclusão dessas pessoas na sociedade. O instituto abrange diversos pilares de atuação, incluindo a prevenção e promoção da saúde, a garantia de direitos, a inclusão social e o fomento da autonomia, independência e protagonismo das pessoas com deficiência intelectual, múltiplas e Transtorno do Espectro Autista (TEA) , buscando sua integração em todas as esferas sociais.

“Desde nossa fundação, temos orientado nossas iniciativas na oferta de serviços que fomentem a inclusão social, a defesa dos direitos e a qualidade de vida de indivíduos de todas as idades com deficiência intelectual. Isso nos consolida como uma referência na área. Estamos imensamente orgulhosos de nossa trajetória e da narrativa que construímos junto a todas as pessoas com as quais nos relacionamos. Nossa história, verdadeiramente, se entrelaça com as histórias de centenas de milhares de pessoas. Mantemos uma crença firme no potencial das pessoas com deficiência intelectual, e é por isso que continuamos nossa luta por uma sociedade inclusiva”, afirma Cleonice Amato, Gerente Executiva do Instituto Acorde.

O Instituto Acorde abrange desde a infância até a fase de envelhecimento, fomentando o desenvolvimento de habilidades e potencialidades que favoreçam a aprendizagem e crescimento, ao mesmo tempo em que proporciona apoio às famílias de pessoas com deficiência intelectual. Seus serviços englobam o Centro de Assistência e Terapias, onde são oferecidos atendimentos especializados nas áreas de Psiquiatria, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Terapia Ocupacional, Psicologia e Nutrição. Além disso, há o Centro Educacional e Pedagógico Especial, que oferece Atendimento Educacional Especializado (com enfoque inclusivo), bem como Psicopedagogia, Pedagogia e Educação Física.

“Nosso propósito é empoderar as pessoas com deficiência intelectual por meio de programas que promovam sua inclusão, tanto no âmbito escolar quanto profissional, aprimorando suas habilidades sociais e comportamentais, bem como cultivando sua independência, responsabilidade, respeito e autoestima. O ano de 2022 representou desafios significativos,  no entanto, trabalhamos incansavelmente para manter a excelência em todos os serviços oferecidos pelo Instituto Acorde. Nosso foco permanece na garantia da excelência que nos tornou referência na defesa da causa da deficiência intelectual”, enfatiza Cleonice.

Sobre o Instituto Acorde:

O Instituto Acorde é uma Organização da Sociedade Civil sem fins lucrativos que há 35 anos se dedica a promover saúde, educação e qualidade de vida para pessoas com deficiência intelectual, Transtorno do Espectro Autista (TEA) e multiplas, ao mesmo tempo em que apoia sua inclusão social e a defesa de seus direitos. A atuação do instituto abrange todas as fases da vida, desde a infância até o envelhecimento, buscando desenvolver habilidades e potencialidades que favoreçam a educação e a inclusão, além de oferecer apoio às famílias. Para obter mais informações, é possível contatá-los pelo telefone (16) 3372-2548 ou visitar o site do Instituto Acorde.

 

Faça um PIX e ajude o Instituto Acorde

Agora ficou ainda mais fácil contribuir com o Instituto Acorde por meio do PIX! Essa nova opção permite uma doação rápida, prática e segura. Lembre-se de que cada doação é valiosa para nós e faz uma grande diferença na vida de 450 educandos e assistidos que recebem atendimentos essenciais nas áreas de saúde, educação e assistência social.

Como uma instituição sem fins lucrativos, dependemos do apoio da sociedade para continuar oferecendo esses serviços indispensáveis à comunidade. Sua contribuição é fundamental para garantir que possamos continuar nossa missão e atender a todos que necessitam.

Faça sua doação através do PIX pela chave: doe@institutoacorde.org.br. Agradecemos imensamente por seu apoio e solidariedade. Juntos, podemos tornar o mundo um lugar melhor para todos!

Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla 2023

O tema deste ano é “Conectar e somar para construir inclusão”

A Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla (SNPDI) é uma importante campanha anual organizada pela Federação Nacional das APAEs (FENAPAES) desde 1963. Seu principal objetivo é conscientizar a sociedade sobre as necessidades específicas das pessoas com deficiência intelectual e múltipla e promover a inclusão social desse grupo.

Este ano, a SNPDI acontecerá de 21 a 28 de agosto, com o tema “Conectar e somar para construir inclusão”. Esse tema destaca a importância da conexão entre as pessoas com deficiência intelectual e múltipla, suas famílias, a comunidade e os profissionais que as apoiam.

Ao promover a conexão entre essas pessoas, elas podem compartilhar suas experiências, aprender uns com os outros e construir uma rede de apoio sólida. Essa conexão também beneficia a comunidade em geral, que pode compreender melhor a deficiência intelectual e múltipla e encontrar maneiras de oferecer suporte a esses indivíduos.

Além disso, os profissionais que trabalham com pessoas com deficiência intelectual e múltipla também podem se beneficiar dessa conexão, trocando experiências e conhecimentos, o que pode levar a uma melhoria na qualidade dos serviços prestados a esse grupo.

A SNPDI é uma oportunidade para sensibilizar a sociedade sobre a deficiência intelectual e múltipla, bem como para promover sua inclusão social. Ao conectar-se e somar esforços, podemos construir uma sociedade verdadeiramente inclusiva para todos.

O que você pode fazer para ajudar?

Agora, quanto ao que você pode fazer para ajudar, há várias maneiras de contribuir para a promoção da inclusão das pessoas com deficiência intelectual e múltipla:

  1. Participe ativamente da SNPDI em sua comunidade.
  2. Considere fazer doações para organizações que apoiam pessoas com deficiência intelectual e múltipla, como o Instituto Acorde.
  3. Voluntarie seu tempo para trabalhar com essas pessoas, oferecendo seu apoio e auxílio.
  4. Converse com amigos e familiares sobre a deficiência intelectual e múltipla, ajudando a desmistificar e conscientizar sobre o assunto.
  5. Apoie políticas públicas que visem à inclusão e ao suporte para pessoas com deficiência intelectual e múltipla.

Ao seguir essas ações, você estará contribuindo para a construção de uma sociedade mais justa, humana, inclusiva e acolhedora para todos, independentemente de suas habilidades e desafios. Juntos, podemos fazer a diferença!

 

Faça um PIX e ajude o Instituto Acorde

Agora ficou ainda mais fácil contribuir com o Instituto Acorde por meio do PIX! Essa nova opção permite uma doação rápida, prática e segura. Lembre-se de que cada doação é valiosa para nós e faz uma grande diferença na vida de 450 educandos e assistidos que recebem atendimentos essenciais nas áreas de saúde, educação e assistência social.

Como uma instituição sem fins lucrativos, dependemos do apoio da sociedade para continuar oferecendo esses serviços indispensáveis à comunidade. Sua contribuição é fundamental para garantir que possamos continuar nossa missão e atender a todos que necessitam.

Faça sua doação através do PIX pela chave: doe@institutoacorde.org.br. Agradecemos imensamente por seu apoio e solidariedade. Juntos, podemos tornar o mundo um lugar melhor para todos!

Cordão de girassol: desenho identifica pessoas com deficiências ocultas ou não aparentes; entenda

Lei que institui o símbolo foi sancionada nesta semana. Objetivo é promover a conscientização e o respeito a direitos garantidos, como atendimento prioritário para quem não tem uma deficiência percebida de imediato, como surdez, autismo e deficiências intelectuais.

O governo federal oficializou nesta semana o uso da fita com desenhos de girassóis como símbolo de identificação das pessoas com deficiências ocultas ou não aparentes – isto é, aquelas que podem não ser percebidas logo de cara, como surdez, autismo e algumas deficiências intelectuais.

🌻 Objetivo: ajudar o dia a dia dessas pessoas a fim de garantir o suporte e respeito aos direitos de que necessitam, como atendimento prioritário ou em situações de emergência.

A medida altera o Estatuto da Pessoa com Deficiência e foi publicada na edição do “Diário Oficial da União” de segunda-feira (17).

O uso do cordão é opcional, e o exercício aos direitos da pessoa com deficiência não depende da utilização do acessório. Da mesma forma, o símbolo não substitui a apresentação de documento comprobatório de deficiência quando requisitado por atendentes ou autoridades competentes.

Para a entidade Hidden Disabilities Sunflower, a lei atende a um pedido por “mais empatia” com as pessoas com deficiências ocultas e “representa um importante passo para a inclusão e conscientização”.

Abaixo, entenda mais sobre o cordão de girassol.

1 – O que é uma deficiência oculta?
As deficiências ocultas são aquelas que podem não ser percebidas de imediato, como é o caso da surdez, do autismo e das deficiências cognitivas, entre outras.

Em outras palavras, elas não possuem sinais físicos óbvios, embora possam afetar significativamente a vida cotidiana das pessoas. Para representar e identificar essas necessidades especiais, a fita com desenhos de girassóis é uma convenção internacional.

2 – Onde o símbolo já era usado?
A fita já é usada como símbolo em vários países e em alguns municípios brasileiros, que inclusive possuem leis próprias sobre o assunto.

3 – Por que adotar a utilização do cordão de girassol?
A adoção do símbolo tem se mostrado muito útil, ajudando aquelas pessoas com deficiências ocultas a enfrentarem menos constrangimentos ao usufruir de direitos, como o atendimento preferencial. Em resumo, proporciona maior compreensão e respeito.

4 – Todas as pessoas com deficiências ocultas serão obrigadas a usar?

Não. Como dito no começo desse texto, o acessório será de uso opcional. A lei não obriga a utilização da peça e sua ausência não prejudica o exercício de direitos e garantias previstos em lei.

Apesar disso, o símbolo não substitui a apresentação de documento comprobatório de deficiência quando requisitado.

 

Fonte: G1

A Importância da Gratidão em Nossas Vidas

É comum expressarmos agradecimentos por gestos cotidianos, como quando alguém segura a porta do elevador, esperando que entremos. Mas será que somos gratos diariamente pelas coisas essenciais em nossas vidas? Quão importante é cultivar a gratidão?

Precisamos compreender que a gratidão deve ser exercitada diariamente, pois isso nos permite sentir mais leveza e paz interior.

Neste texto, vamos explorar o significado da gratidão e como podemos praticar esse valor em nossa vida.

O que é gratidão?

Segundo o dicionário Michaelis, gratidão é a qualidade de quem é grato, bem como o sentimento experimentado por alguém em relação àqueles que lhe concederam algum favor, auxílio ou benefício. Ao analisar o significado da palavra, podemos entender por que a gratidão é valorizada há muito tempo em várias religiões.

A ciência já percebeu que a gratidão é algo inato no ser humano. Para a psicologia positiva, a gratidão e sua prática são a mais elevada forma de amadurecimento psicológico.

A gratidão também impacta nosso cérebro. Sempre que agradecemos e nos sentimos gratos por algo ou alguém, aumentam-se os níveis de dopamina, um neurotransmissor responsável pelo bem-estar, humor e prazer. Consequentemente, sentimo-nos mais felizes, leves e satisfeitos, uma vez que ativamos o sistema de recompensa do cérebro.

Diversos estudos têm mostrado que a gratidão está diretamente relacionada à felicidade. O psicólogo Martin Seligman demonstrou que a gratidão, por ser uma emoção positiva, amplia o sentimento de bem-estar emocional. A professora de Psicologia, Barbara Fredrickson, destaca que a prática da gratidão nos torna mais resilientes, felizes, sociáveis, saudáveis e criativos. Além disso, a gratidão nos liberta ou, pelo menos, reduz sensações e emoções negativas, como tristeza, dor e raiva.

Quais os benefícios da gratidão?

Pesquisas realizadas pelo professor da Universidade da Califórnia, Robert Emmons, comprovaram que pessoas que expressam mais gratidão têm emoções mais positivas. Em seu livro “Agradeça e seja feliz”, Emmons destacou 10 benefícios da prática da gratidão, a saber:

  1. Aumento do entusiasmo, otimismo e felicidade, além de maior energia no dia a dia;
  2. Fortalecimento do sistema imunológico;
  3. Diminuição da pressão arterial;
  4. Redução das queixas de mal-estar e dores;
  5. Melhora na qualidade do sono;
  6. Sensação de acordar mais disposto;
  7. Eliminação de emoções tóxicas, como rancor, inveja, medo e raiva;
  8. Melhoria na vida social, tornando-a mais prazerosa e ativa;
  9. Redução dos níveis de estresse e depressão;
  10. Diminuição das sensações de isolamento, solidão e inadequação.

Além dos benefícios mencionados por Emmons, o site americano Psychology Today aponta outros pontos positivos da gratidão:

  • Facilidade em estabelecer novos relacionamentos, pois demonstrar gratidão transmite apreço e boa educação, o que ajuda a conquistar novas amizades.
  • Melhoria na saúde física, uma vez que pessoas gratas tendem a cuidar melhor de sua saúde, praticando exercícios físicos e realizando check-ups regulares, o que contribui para uma maior longevidade.
  • Aumento da saúde mental, reduzindo pensamentos e sentimentos negativos. Pesquisas indicam que pessoas gratas têm menores níveis de estresse e sintomas de depressão.

É importante lembrar que a gratidão não é uma solução mágica para todos os problemas. Caso você se sinta desamparado e precise de ajuda, procure a orientação de um psicoterapeuta que possa auxiliá-lo.

A prática da gratidão também está associada ao aumento da empatia e à redução da agressividade, tornando-nos mais amáveis, compreensivos e empáticos em nossas relações interpessoais.

Outro benefício da gratidão é o aumento da autoestima e a capacidade de lidar com comparações e inveja. Pessoas gratas são mais capazes de reconhecer e celebrar o sucesso dos outros, o que contribui para uma convivência mais harmoniosa.

A gratidão também desempenha um papel importante na superação de traumas e no desenvolvimento da resiliência. Estudos mostraram que veteranos da guerra do Vietnã que expressavam gratidão apresentavam menores taxas de Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT). Além disso, a gratidão foi identificada como um dos principais fatores para desenvolver resiliência em pessoas que viveram o atentado de 11 de Setembro.

Praticar a gratidão é difícil?

Assim como o perdão, a gratidão nem sempre é fácil de exercitar para todos. Muitas vezes, precisamos ser gratos mesmo quando as coisas não acontecem de forma positiva. É necessário compreender que a gratidão não depende de classe social, gênero, cor ou atividade exercida; ela é um sentimento, uma virtude, um valor que precisa ser cultivado e exercitado, independentemente das condições adversas. A gratidão é como uma cura para nossas feridas emocionais.

No entanto, é importante lembrar de valorizar as pequenas vitórias e enxergar o lado positivo das situações. Existem coisas simples pelas quais devemos ser gratos para tornar nossa vida mais leve:

  • Relações que não deram certo: mesmo que um relacionamento não tenha terminado como esperado, ou mesmo que tenha terminado, é possível aprender com a experiência e ser grato pelos aprendizados adquiridos.
  • Erros e medos: os erros e medos nos tornam mais fortes, pois nos ajudam a conhecer nossos limites e a superá-los.
  • Momentos sozinhos: estar sozinho não precisa ser sinônimo de solidão. Esses momentos podem ser oportunidades para refletir sobre nossas ações e personalidade.

Como praticar a gratidão?

Praticar a gratidão pode ser desafiador para algumas pessoas. Para auxiliá-lo nesse processo, aqui estão cinco etapas que podem ajudá-lo a exercitar essa virtude:

  1. Autodiagnóstico: Analise o seu nível de gratidão em diferentes áreas da vida, como família, amigos, trabalho e relacionamentos amorosos.
  2. Autoanálise: Procure compreender as razões pelas quais talvez não esteja sendo tão grato em certas situações. Identificar possíveis obstáculos é importante para superá-los.
  3. Plano de ação: Desenvolva estratégias para aumentar sua gratidão em diferentes aspectos da vida, focando nas coisas que dependem somente de você.
  4. Compartilhe sua gratidão: Demonstre apreço e gratidão às pessoas ao seu redor, espalhando pensamentos e sentimentos positivos. Isso pode transformar suas relações e seu ambiente.
  5. Mude sua fala e pensamento: Comece a ver o lado positivo das coisas e evite se prender a pensamentos e sentimentos negativos. Uma perspectiva mais positiva pode transformar sua vida.

Caso a prática da gratidão se torne extremamente difícil, considerar sessões de psicoterapia pode ser uma opção. O psicólogo pode ajudar a compreender a importância da gratidão e auxiliar no exercício dessa virtude.

Em resumo, a gratidão é uma poderosa aliada para alcançarmos uma vida mais plena e feliz. Ao exercitá-la diariamente, podemos fortalecer nossas relações interpessoais, nutrir uma mentalidade mais positiva e desenvolver resiliência perante os desafios da vida. A gratidão é uma virtude transformadora que pode promover nosso bem-estar físico e emocional, tornando nossa jornada mais significativa e gratificante.

Autismo: Conheça os 9 sinais que podem indicar o transtorno na fase adulta

Segundo estimativas do CDC, há 75 milhões de adultos com a condição no mundo

Muito se fala sobre os sinais do Transtorno do Espectro Autista (TEA) em crianças. Apesar de a condição ter ganho notoriedade nos últimos anos, ela existe há muito tempo. Isso significa que existem diversos adultos com TEA sem o devido diagnóstico.

Segundo o Center for Disease Control and Prevention dos Estados Unidos (CDC, em inglês), cerca de 1% da população mundial adulta — ou seja, mais de 75 milhões de pessoas com 18 anos ou mais — está no espectro autista.

Não há dados e estatísticas no Brasil sobre quantas pessoas viveriam com TEA, mas usando dados do CDC, estima-se que existam cerca de 2 milhões de adultos com Transtorno do Espectro Autista no país.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o TEA “se refere a uma série de condições caracterizadas por algum grau de comprometimento no comportamento social, na comunicação e na linguagem”, que “começa na infância e tende a persistir na adolescência e na idade adulta”. Na maioria dos casos, afirma a entidade, as condições são aparentes durante os primeiros cinco anos de vida.

Nem sempre os traços do autismo são perceptíveis, principalmente naqueles em que a condição é classificada de alto funcionamento ou Transtorno de Asperger, também chamado de TEA de Nível 1 ou grau leve.

Veja abaixo 9 sinais que podem indicar o autismo em adultos:

Hipersensibilidade a texturas, sons e cheiros

A pessoa com TEA costuma dar mais atenção a certos sons baixos ou contínuos, como ruídos do ar-condicionado, por exemplo. Elas também são mais sensíveis a cheiros e texturas, como certos tipos de perfumes ou odores. Podem também reagir a alimentos com texturas diferentes e a certos tecidos de roupas.

Hiperfoco em determinados assuntos

É comum a pessoa com TEA ter interesses intensos e ser extremamente focados em um assunto específico: ela pesquisa tudo sobre aquilo, se torna uma verdadeira especialista. Pode ser em música, jogos, tecnologia, personagens, assuntos aprendidos na escola. Esse super interesse é chamado de hiperfoco e tende a se manifestar ainda na infância.

Preferência por trabalhar sozinho do que em equipe

Por dificuldades em interação social, muitas pessoas com TEA podem preferir ficar sozinhas por longos períodos de tempo, até mesmo no trabalho. Essa tendência ao isolamento não necessariamente indica que eles não se sintam solitários, apenas funcionam melhor assim. Isso vale tanto para crianças quanto para adultos, que também precisam de um tempo sozinhos, sem serem interrompidos por outras pessoas.

Apego a rotinas

Pessoas com TEA gostam de rotinas. Isso as ajuda a se organizarem internamente. Por exemplo, gostam de seguir a mesma ordem para se arrumar para o trabalho, de percorrer os mesmos caminhos, até mesmo de sempre tomar o mesmo café da manhã.

Falta de habilidade social

Quando expostas a longos períodos de informações sociais e informações sensoriais, as pessoas com TEA tendem a se sentirem sobrecarregas e exaustas. Por isso, elas costumam ter um círculo de amizade bem limitado e não gostam de participar de reuniões em grupos grandes.

Interpretação ao pé da letra

Pessoas com TEA têm dificuldade de entender piadas, ironias e frases com duplo sentido. Também não costumam compreender a comunicação não verbal, como gestos, linguagem corporal e expressão facial. Para eles, tudo é levado ao pé da letra.

Desvio de olhar

Para pessoas com TEA, olhar nos olhos de outra pessoa pode ser muito desconfortável e cansativo.

Sinceridade exagerada

A pessoa com TEA tende a ser “sem filtro”, falando as coisas com sinceridade e sentido literal. Elas têm dificuldade de esconder o que pensam e não percebem que suas falas diretas podem acabar magoando as pessoas que ouvem.

Dificuldade de expressar suas emoções

Abraços longos e apertados, beijos, dizer “eu te amo”. Essas demonstrações de amor, carinho e afeto são difíceis para pessoas com TEA. Elas tendem a não demonstrar ou receber afeto com naturalidade. Isso não significa que não tenham afeto. Mas elas têm limitações e também não costumam falar de seus sentimentos.

 

Fonte: O GLOBO — Rio de Janeiro

Inaugurada a Residência Inclusiva para jovens e adultos com deficiência “Henriqueta Roiz Ferreira”

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA PARA ELEIÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELHO FISCAL

O INSTITUTO ACORDE com sede à Rua José Luíz Olaio, nº 290, Jardim Ricetti em São Carlos/SP, devidamente representado por seu Presidente Oswaldo Ferrari da Silva, convoca através do presente edital, todos os associados contribuintes participantes do rol de membros, para Assembleia Geral Ordinária, que se realizará em sua sede, no dia 07 de dezembro de 2022, com a seguinte ordem do dia:

· ELEIÇÃO DE DIRETORIA E CONSELHO FISCAL PARA O BIÊNIO 2023/2024.

A Assembleia Geral instalar-se à em primeira convocação as 19h30 com a presença das maiorias dos associados e as 20h00 em segunda convocação, com qualquer número, não exigindo a lei quórum especial.

São Carlos, 07 de novembro de 2022

Oswaldo Ferrari da Silva
Presidente

Instituto Acorde inaugura Escola de Educação Especial “Maria Maffei Lobbe”

O Instituto Acorde inaugurou nesta sexta-feira (2) a Escola de Educação Especial “Maria Maffei Lobbe”, localizada na sede da entidade na rua José Luiz Olaio, nº 290, no Jardim Ricetti.

A missão do Instituto Acorde é cuidar e atender pessoas com deficiência intelectual, síndrome de Down e transtorno do espectro autista, proporcionando educação e desenvolvimento, a fim de melhorar a qualidade de vida e a inclusão social.

O secretário de Governo, Netto Donato, representando o prefeito Airton Garcia, participou da solenidade de inauguração e destacou que o Instituto Acorde é uma entidade importantíssima para a nossa cidade, parabenizando, em nome do prefeito Airton Garcia, toda a equipe do Instituto pelo espaço amplo e adaptado para poder oferecer a um número maior de crianças e adultos, com deficiência intelectual, atividades para a desenvolvimento das suas capacidades.

Já o ex-deputado Lobbe Neto agradeceu o Instituto por ter denominado de Maria Maffei Lobbe, sua avó, a Escola de Educação Especial. “Eu e minha tia Wilma Lobbe agradecemos ao presidente da ACORDE, Oswaldo Ferrari Silva, pela homenagem a nossa família”.

A Escola Especial Maria Maffei Lobbe conta com 9 novas salas de aulas, sala de informática, coordenação, banheiros adaptados com acessórios para atender as necessidades dos usuários e um amplo espaço para depósito de equipamentos e materiais.

Também participaram da inauguração as secretárias de Cidadania e Assistência Social, Vanessa Soriano e da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, Lucinha Garcia, a secretária interina de Agricultura e Abastecimento, Ester Soares de Lucas e os vereadores Robertinho Mori, Rodson Magno do Carmo e Azuaite Martins de França, além do padre Daniel Lavandoski, colaboradores, alunos e familiares.